wrapper

logo min

pten

CARGAS. Empresa pública de transporte operou menos navios e tem menos tonelagem manuseada. Administração diz que a ‘saúde’ da companhia “não é a melhor”.

32752083 1978959672115130 7458565370723434496 n

O volume de mercadorias transportadas pela Unicargas recuou 52% em 2017, para 307.341 toneladas, face a 2014, ano de início da crise financeira em que as quantidades se fixaram em 642.953 toneladas.

Os números constam do Plano de Desenvolvimento Estratégico e de Negócios da empresa, para o período 2018 a 2022, a que o VALOR teve acesso, e que descreve a degradação sucessiva dos resultados nos últimos quatro anos.

Depois das 642.953 toneladas de 2014, o fecho de 2015 inscreveu uma queda de 9% no transporte de cargas para 579.177 toneladas. Em 2016, o ‘tombo’ foi de quase metade do ano anterior (41,5%), chegando às 338.562 toneladas. Já a comparação entre 2016 e 2017 espelha uma desacelaração de cerca de 9% para 307.341 toneladas.

A trajectória de queda não poupou o segmento da tonelagem de carga manuseda. Se, em 2014, foram 1.215.912 tonelagens, em 2017, registaram-se apenas 169.423, um decréscimo na ordem dos 86%.

O presidente do conselho de administração (PCA) da empresa, Celso Rosas, num fórum realizado recentemete em Luanda, classificiou a “condição financeira” da Unicargas como não sendo “a melhor”, atribuindo culpas à situação económica e financeira e ao facto de a companhia explorar um terminal de carga “que carece de intervenções e que garante cerca de 80% de todas as receitas da Unicargas”. Celso Rosas referiu, no entanto, estar já, nos planos da empresa, a realização de investimentos no terminal.

Além dos investimentos, a Unicargas pretende, de acordo com o plano estratégico, “reduzir a dependência comercial da actividade portuária, realizar uma reestruturação, e aumentar o capital social”. A elaboração de um novo organograma e de um plano para a manutenção dos meios circulantes dos equipamentos e máquinas integram a lista das próximas metas.

Menos 58,8% de navios operados

O número de navios operados também esteve em queda, segundo o plano estratégico da Unicargas. Sem avançar o tipo de navios, o documento espelha que houve uma queda na ordem dos 58,8% desde a crise.

Numa redução crescente, a empresa teve de navios operados em 2014, 255, no ano seguinte, 212, em 2016, 113 e, no ano passado, 105.

A empresa tinha disponíveis, até ao primeiro semestre do ano passado, 218 camiões de diferentes marcas, 150 dos quais operacionais e prestam serviço de transporte inter-urbano e inter-provincial. No ano de 2016, foram realizadas 367 viagens inter-provinciais e 10.918 inter-urbanas.

A Unicargas é conhecida como sendo uma empresa rodoviária, mas também desenvolve operações portuárias e serviços transitários.

 

Comentários

A Informação mais vista

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao