wrapper

logo min

pten

SECTOR DIAMANTÍFERO. Lucapa Diamond Company regista, em termos de quantidade, crescimento de quase 100%. Diamante mais caro do país provoca, entretanto, recuo nas receitas.

thumbnail diamantes

 

O número de diamantes especiais recuperados, na Sociedade Mineira do Lulo, aumentou cerca 97% para 57 unidades, enquanto o peso cresceu 76% para 1.199 caracteres, no segundo trimestre de 2017, revela um comunicado da Lucapa Diamond Company (operadora e detentora de 40% da sociedade), a que o VALOR teve acesso.

Os resultados, que reforçam as possibilidades de se estar perante a maior mina do país e uma das maiores do mundo, em termos de valores, mantêm a tendência crescente de quilates resultantes de diamantes especiais, depois dos 96 quilates recuperados no segundo trimestre de 2015 e dos 683 no mesmo período de 2016.

No que diz respeito ao semestre, o volume dos diamantes especiais cresceu cerca de 18% para 2.328 quilates, face aos 1.967 quilates produzidos no mesmo período de 2016.

Comparativamente ao volume global, o dos diamantes especiais representou cerca de 29%, face à produção do segundo trimestre (4.203 quilates) e cerca de 28%, face à produção do primeiro semestre (8.301 quilates).

Entre os destaques do primeiro semestre consta a produção do segundo maior diamante produzido no país, no caso, com 227 quilates que superou o de 172,67 quilates, descoberto em Setembro de 2016. O diamante mais valioso do país tem 404 quilates e foi encontrado em Fevereiro de 2016 na mesma mina. Está entre as trinta maiores descobertas do mundo e foi comercializada por 16 milhões de dólares.

Os sinais de se estar perante uma mina valiosa começaram a ser dados ainda em fase de prospecção. No primeiro semestre de 2014, por exemplo, 50% dos diamantes descobertos até então tinham sido classificados como de qualidade rara. “Dos 12 diamantes do kimberlito recuperados até à data, seis foram confirmados como pedras de Tipo 2A.Os diamantes tipo 2A estão entre os mais raros do mundo, representando menos de 1% da produção do diamante global”, lê-se no relatório apresentado, na altura, pela Lucapa Diamond Company.

Na ocasião, a empresa informava ainda que os geólogos internos acreditavam que estavam em presença de “uma fonte provável de diamantes aluviais de tipo 2A grandes e valiosos de até 131,4 quilates”.

Com o objectivo de confirmar a existência de mais pedras raras e melhorar a produção dos mesmos, a empresa realizou um estudo especializado, cujo resultado partilhará brevemente com os outros accionistas (Endiama32% e Rosas e Pétalas 8%), segundo informa no documento. “A Lucapa espera actualizar os accionistas, em breve, sobre os resultados e a interpretação da pesquisa do Time DomainElectromagnetic (TDEM), transmitida por helicóptero sobre a área do Vale de Cacuilo em Lulo, uma vez que o trabalho está concluído”, esclarece a empresa, acrescentando que os resultados do inquérito “ajudarão o programa de perfuração do Kimberlite do Lulo, que visa localizar a principal fonte ou fontes de diamantes aluviais excepcionais que estão a ser recuperados dentro da concessão”. A perfuração, diz a companhia, também será auxiliada pelos resultados da análise laboratorial do núcleo de kimberlite na África do Sul.

Em 2016, os diamantes produzidos na mina do Lulo foram os mais valiosos do mundo com um preço médio de 2.983 dólares por quilate, segundo comunicado divulgado no princípio deste pela Lucapa Diamond Company.

Diamante raro compromete receitas semestrais

Quanto às vendas, a empresa registou recuo no primeiro semestre, apesar do aumento de 58% para 4,8 milhões de dólares no segundo trimestre. Ao longo dos seis meses, o valor das vendas recuou cerca de 41% comparativamente ao período homólogo. Contribuiu para a quebra o facto de os números do primeiro semestre de 2016 contarem com os cerca de 16 milhões de dólares resultantes da venda do diamante mais valioso descoberto no país.

Em relação à produção, a empresa registou crescimento de 63% para 4.203 quilates. Os volumes de mineração cresceram 55% para 57.283 metros cúbicos, o que, segundo a empresa, mantém a operação no “caminho certo” para atingir o objectivo de 240 mil metros cúbicos para o ano.

O projecto Lulo cobre uma área de 3.000 km2 e está localizado na bacia do rio Cuango, na Lunda Norte. Situado a 150 quilómetros a oeste do projecto diamantífero de Catoca, conta com um importante campo de kimberlite identificado dentro da concessão e aluviais extensivos de diamantes. Depois de cerca de quatro anos de exploração e amostragem, a Lucapa Diamond Company iniciou, em finais de 2012, a exploração mais crítica. Desde esta altura foram sendo encontrados diamantes raros.

 

Comentários

A Informação mais vista

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao