Print this page

Angola conta com cerca de 800.000 micro, pequenas e médias empresas (MPME), o quarto maior registo na região da África subsaariana, de acordo com a quarta edição do Observatório da Inclusão Financeira,.

O estudo, divulgado na terça-feira, coloca Angola, com um peso de 2% do total, atrás de países como a Nigéria (24%), Tanzânia (11%) e Congo (7%) no total de MPME naquela região de África.

Em contrapartida, Angola é uma das principais economias do continente e o maior produtor de petróleo africano, com mais de 1,6 milhões de barris por dia.

“A inclusão no sistema financeiro e o acesso a financiamento são condições essenciais para a criação e desenvolvimento de um tecido de MPME robusto e sustentável a médio longo prazo, e para o crescimento económico de um país”, realça o estudo da Deloitte.

No documento, a consultora internacional evidencia ainda a relação “entre a actividade das MPME e o crescimento económico dos países”, estimando que o contributo para o Produto Interno Bruto global seja aproximadamente de 65%.

Contudo, são identificados alguns obstáculos ao desenvolvimento da actividade destas empresas nos países em desenvolvimento, como a exclusão do sistema financeiro e acesso a financiamento, o acesso a electricidade e a competição de empresas não formalizadas.

A consultora defende a necessidade de “alargar e melhorar” o acesso das MPME a produtos e serviços financeiros formais, o que exige uma “mudança profunda”, até em termos culturais, na sua disponibilização. Fomentar o aumento da produtividade destas empresas, através da melhoria das condições de trabalho, é outra das necessidades identificadas, assim como a criação de um clima de negócios favorável e o incentivo à própria formalização das MPME, “como um meio para quebrar o ciclo vicioso de fraca produtividade e condições de trabalho precárias características do mercado paralelo”.

De acordo com a quarta edição do Observatório da Inclusão Financeira, existiam em 2010 entre 420 a 510 milhões de MPME no mundo, 85% das quais localizadas em países em desenvolvimento, com a região da África subsaariana a representar cerca de 8,6% do total, aproximadamente 40 milhões de empresas.