wrapper

logo min

pten

Banco central quer diminuir riscos no sistema financeiro nacional. Através do seu governador, alertou para que entidades reguladoras e supervisoras do sistema financeiro [na CPLP] actuem de forma coordenada. Organismo reconhece haver ainda “inúmeros desafios” no sistema financeiro.

Jose Massano no Lubango

O Governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano, considerou hoje, 11, que os reguladores e supervisores do sistema financeiro devem pautar por uma acção coordenada, atenta e focada, a fim de eliminar possíveis riscos e permitir o desenvolvimento das economias, factor de crescimento das sociedades.

Ao discursar na abertura do IV encontro de auditoria, gestão de riscos e compliance dos bancos centrais dos Países de Língua Portuguesa (BCPLP), que acontece numa das unidades hoteleiras do Lubango, José Massano realçou que, no contexto de Angola, o BNA tem vindo nos últimos anos a reforçar o quadro regulamentar.

O número um do banco central angolano justificou o posicioanamento com o objectivo “instituir a implementação de modelos adequados de governação corporativa e de controlo interno” em todas instituições sob sua supervisão, pois tem publicado “pontualmente a regulamentação específica sobre vários temas” que acabarão de ser objecto de debate no encontro.

Para o responsável, é “necessário reconhecer que independentemente dos níveis de desenvolvimento de cada uma das economias, o sector financeiro na sua generalidade contínua ainda a apresentar inúmeros desafios”, exigindo da parte dos reguladores e dos supervisores uma acção coordenação, atenta e focada.

“Este é um desafio que aqui partilhamos e que gostaríamos que no decurso desse encontro, ao trocarmos impressões sobre como melhorar a governação, sistemas de controlo, tenhamos presente o objectivo último que perseguimos o de ter o sistema financeiro ao serviço das nossas sociedades”, aludiu.

Entre os países que compõem a CPLP, referiu que todos eles evidenciaram os efeitos da crise financeira de forma diferente, mas, “apesar das realidades não serem as mesmas, ainda assim os problemas, dificuldades e desafios assemelham-se”.

O evento, com duração de dois dias, congrega o Banco Nacional de Angola, delegados dos bancos centrais dos países de língua portuguesa, representantes da associação angolana de bancos, de bancos comerciais do sistema financeiro angolano e do instituto angolano de auditoria interna, directores e delegados regionais e colaboradores do BNA.

Vão ainda ser temas de debates, entre outros, o “Valor estratégico da Auditoria”, “independência e objectividade da auditoria interna”, “gestão de riscos e compliance”, e o “branqueamento de capitais e financiamento ao terrorismo”.

Last modified on terça, 11 dezembro 2018
 

Comentários

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao