Print this page

O seguro multirriscos habitação obrigatório para as centralidades, que foi anunciado há cerca de dois anos, ainda não começou a ser praticado, estando numa fase de estruturação.

cacuaco

A informação foi avançada, em exclusivo ao VALOR, pela secretária do Estado do Ordenamento do Território, Ângela Mingas, durante a 34ª edição da Feira Internacional de Luanda.

Ângela Mingas informou que o seguro está a “decorrer, mas que esses projectos não se concretizam imediatamente.

Há várias fases ainda a trabalhar. Ainda não existe como um seguro aplicável ao cidadão” O seguro, obrigatório aos residentes nas diferentes centralidades, também não começou ainda a ser comercializado pelas seguradoras, confirmou a secretária de Estado.

O projecto foi lançado e apreciado favoravelmente numa reunião da comissão económica em 2016.

O seguro prevê assegurar a reparação de danos relacionados com incêndios, inundações, problemas eléctricos, com a possibilidade de haver indemnizações por furto ou roubo, entre outros aspectos.