wrapper

logo min

pten

BANCA. Quem utiliza cartões de crédito da rede Visa do BAI vai passar a receber menos. Só no cartão ‘BAI Classic’, há um corte de 47,3% ficando limitado nos mil euros, nos outros cartões o limite vai até aos três mil. Banco avisa que medida é extensiva a outros cartões, por culpa da crise cambial. BAI não é o único, foi antecedido pelo BFA e BPC.

29664135 1925591860785245 1749350195 n

O Banco Angolano de Investimento (BAI) vai reduzir para apenas mil euros o limite de crédito a conceder no cartão ‘BAI Classic’, cortando quase 50% face aos anteriores 1.900 euros, de acordo com o organismo que anuncia o novo modelo no site.

O BAI Classic é um dos três cartões de crédito da rede Visa da instituição e o de menor ‘plafond’, limite nos carregamentos mensais. É também, segundo fonte da administração do banco, “o mais usado e o mais solicitado”.

O limite anterior era de 500 mil kwanzas [1.888,9 euros, ao câmbio de 264 kwanzas]. E agora fixou-se em euros para o BAI Classic. Os outros cartões são o ‘BAI Gold’, cujo limite foi reduzido para dois mil euros e o BAI Platina que o limite foi reduzido para três mil euros.

A medida é justificada com a escassez de recursos em moeda estrangeira e entra em vigor a 15 de Abril. “Na sequência da implementação das políticas de contenções de venda de divisas do Banco Nacional de Angola, informamos que serão actualizados os limites máximos de ‘plafond’ dos cartões de crédito Visa, com entrada em vigor a patir de 15 de Abril do corrente ano”, escreve o banco.

Além do BAI, outros bancos já anunciaram as mesmas medidas, que justificaram com a racionalização dos recursos em moeda estrangeira. No BFA, banco que inaugurou a medida, os clientes passam a ter apenas o equivalente a 100 dólares no cartão para pagar contas diversas no estrangeiro. A nova regra entrou em vigor em Fevereiro.

O BPC foi o segundo banco a avisar medidas de contenção nos cartões. Numa nota no seu site, anunciou ajustes na utilização dos cartões de crédito da rede Visa devido às “condicionantes do mercado cambial”, apesar de não ter precisado em quanto iria cortar face aos limites anteriores.

Crédito por um mês...

Depois de activado o cartão de crédito pelo banco, o ciclo de utilização inicia a todo o dia 1 de cada mês e fecha no último dia. Ou seja, o cliente usa o cartão ou ‘plafond’ durante um mês, em função do montante que lhe for concedido pelo banco.

...Reembolso faseado

O banco estabelece, por sua vez, que o pagamento da conta cartão de crédito e seus respectivos juros seja feito a cada 25 do mês seguinte. Mas o cliente não é obrigado a pagar a totalidade do cartão nessa data, já que o banco abre a possibilidade de reembolso por prestação.

“O cliente pode pedir ao banco que, no dia 25, seja pago a totalidade do cartão, ou pode pedir que seja pago só 10%. E paga os outros 10% nos meses seguintes, para completar os 100%. Ou seja, o cliente pode pedir para fazer o pagamento da conta cartão de crédito por prestação”, assegura a fonte da administração, apontando para as vantagens do serviço.

 

Comentários

A Informação mais vista

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao