wrapper

logo min

pten

DIVISAS. Leilão inaugural de Fevereiro coloca divisas para cobrir exclusivamente cartas de créditos, para compras diversas, numa semana em que o banco central assume ter vendido dólar. Relatório não identifica bancos beneficiários dos primeiros dólares do ano.

ng1016788

O Banco Nacional de Angola (BNA) vendeu, na semana passada, 225,6 milhões de dólares para coberturas de cartas de créditos, num leilão marcado com o regresso da moeda norte-americana, o dólar, ao mercado de câmbio, quase dois anos depois de afastada das operações cambiais por força da crise.

De acordo com a nota do banco central que resume o leilão, o montante foi todo canalizado para coberturas de cartas de créditos, “com o objectivo de assegurar a importação de matéria-prima, peças e equipamentos para a indústria transformadora, incluindo alimentar e bebidas e prestação de serviço ao sector petrolífero”.

As sessões anteriores, precisamente de todo o mês de Janeiro, foram feitas em euro. Aliás, foi assim durante quase dois anos, a contar desde o segundo semestre de 2015.

Só em 2017, nenhum dólar saiu dos leilões ou das vendas directas, sendo que as operações do mercado oficial foram todas em euro. Nesta sessão de 7de Fevereiro, assim como nas anteriores, a justificação foi a escassez de moeda estrangeira, sobretudo o dinheiro dos EUA, que, desde 2014, deixou de entrar no país, devido à crise do petróleo e ao corte nas relações com os correspondentes bancários (ver gráfico).

É também o desaparecimento do dólar que forçou o BNA a trocar a moeda como referência para todas as operações do mercado oficial de câmbio, passando as conversões pela nova cotação base kwanza/euro, de acordo com o próprio banco central que anunciou a medida no primeiro comunicado de leilões de divisas com taxas flutuantes.

Com esta alteração, o banco central confirmava, assim, o desaparecimento do dólar nas operações de câmbio e nos leilões oficiais de divisas, ao deitar abaixo o dólar e deixar entrar o euro, em todas as operações de câmbios de referência.

“O Banco Nacional de Angola informa ao público, que no dia 08.01.2018, procedeu ao ajuste da sua tabela de câmbios de referência, de modo a que esta tenha como base a cotação Kwanza/EURO, sendo as outras cotações apuradas em função da taxa de câmbio do EURO/outras moedas”, avisara o regulador, numa medida que saiu da conferência de imprensa promovida pela equipa económica do Governo, que apresentou, no início de Janeiro, o Plano de Estabilização Macroeconomica.

BNA OMITE BENEFICIÁRIOS

Sem mencionar entidades bancárias participantes e beneficiárias dos dólares dessa sessão, o BNA garante ainda que, diferente das sessões passadas, o leilão que reinaugura o regresso do dólar nas operações cambiais “não resultou em qualquer alteração da taxa de câmbio”.

“Para bens alimentares e medicamentos, o BNA mantém ainda o mecanismo de vendas directas por indicação dos organismos de tutela. Para operações privadas (educação, saúde, viagens e salários de expatriados), a venda de divisas mantém-se por alocação aos bancos comerciais em função da sua quota de mercado no segmento de particulares”, lê-se numa nota do banco central, que antevê o próximo leilão para esta segunda-feira, 12.

DÓLAR SÓ COM EXPORTAÇÃO

Apesar de a nota do último leilão não trazer anexedas explicações do regresso do dólar, o governador do BNA tinha antecipado, no entanto, que o regresso da moeda seria ditada pelo aumento da produção e exportação nacioal, assim como pela redução da importação.

“Mais divisas para o país, temos de exportar mais. Ou aquilo que exportamos tem de ter um preço mais alto. Ou temos a condição de importar menos”, apontara o governador, para quem as divisas “não dependem apenas da inexistência de correspondentes bancários”.

 

Comentários

A Informação mais vista

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao