wrapper

logo min

pten

O Presidente da República afirmou hoje (18) que os investimentos directos portugueses em todos os sectores em Angola são "bem-vindos" e que Portugal pode assumir um papel relevante no desenvolvimento dos dois países.

mw 860 11

Ao intervir antes do início de um encontro a sós com o primeiro-ministro português, António Costa, que cumpre hoje o segundo e último dia da visita de trabalho a Angola, João Lourenço disse que os investimentos na indústria transformadora, com base em matérias-primas e em materiais locais, a agricultura e a agro-indústria são fundamentais para o mercado interno e para as exportações angolanas.

"Vemos com bons olhos a implantação de pequenas e médias empresas portuguesas no mercado angolano, dentro de uma lógica em que se estabeleçam no nosso país para produzir riqueza que resulte em benefícios importantes para ambos", destacou João Lourenço.

Nesse sentido, o chefe de Estado, a dirigir-se a António Costa, encorajou-o a sensibilizar os investidores portugueses para aceitarem o desafio, "criando-lhes facilidades por via de linhas de crédito que os ajudariam a realizar negócios em Angola".

"Do nosso lado, estamos a fazer uma aposta decidida na criação de um ambiente de negócios seguro e atractivo, no âmbito do qual os investidores deixam de se confrontar com obstruções resultantes de procedimentos exageradamente burocráticos para estabelecerem uma empresa ou negócio em Angola", sublinhou.

Para João Lourenço, há que ter em conta que, para todos esses objectivos, que "prevaleçam sempre o bom senso, pragmatismo e sentido de Estado", para que as relações entre os dois países saiam "continuamente robustecidas" e possam fazer face, "e vencer" as "visões pessimistas" que, de quando sem quando, se procuram afirmar.

"Encorajo, pois, a mantermos uma linha de diálogo permanente entre nós", recomendou. Segundo João Lourenço, os acordos que serão assinados entre os dois países, com realce para o programa Estratégico de Cooperação 2018/2022 e a Convenção para eliminar a Dupla Tributação em matéria de impostos e prevenir a fraude e a evasão fiscais, "vão dar certamente solidez e substância" à visita de António Costa.

"Espero que estes instrumentos ajudem a criar sinergias que nos conduzam ao pragmatismo na realização de todos os actos que dão sustentação às relações de cooperação" entre os dois países, frisou.

"Há entre Angola e Portugal uma relação entre dois Estados independentes e soberanos, que respeitam e cujos Governos têm a responsabilidade de traçar políticas que garantam uma cooperação sólida em variados domínios e o estreitamento dos laços de amizade e de cooperação económica", lembrou. Segundo João Lourenço, Luanda tem consciência de que se "impõe a necessidades de se transformar os vastos recursos de que Angola dispõe em "riqueza real", para se garantir o progresso e a melhoria significativa das condições de vida das populações.

Na intervenção, João Lourenço destacou também que Angola e Portugal, na qualidade de membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), têm procurado em conjunto "desempenhar um papel que contribua para a estabilidade, paz e segurança global".

Recorda-se que João Lourenço tem agendada uma visita oficial a Portugal, em Novembro deste ano.

 

Comentários

A Informação mais vista

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao