wrapper

logo min

pten

COMÉRCIO. Compras de Angola continuam em cenário negativo desde a crise. Bens alimentares dominam as importações, mas com quedas significativas.

38918418 1968041560153446 3149035936566738944 n

As importações marítimas, no primeiro trimestre do ano, registaram uma redução de 20,73% para 1,2 milhões de toneladas de produtos diversos em relação ao período homólogo do ano anterior.

Segundo dados do Conselho Nacional de Carregadores (CNC), dos bens importados, o destaque vai para os alimentares que, apesar de registarem significativas quedas, foram os mais comprados por Angola.

O açúcar de cana ou beterraba é o líder dos importados, com 81.287 toneladas. Em 2017, foram 112.770 toneladas, uma queda de 27,92%. Seguiu-se o arroz com 78.892 toneladas, quando, no ano passado, foi de 155.243, recuando 49,18%. A farinha de trigo foi o terceiro produto mais importado. Foram 75.503 toneladas, uma redução de 32,60%, em relação às 112.026 do ano passado.

O cimento hidráulico, também conhecido por clínquer, matéria-prima usada no fabrico do cimento Portland, que vinha ocupando a primeira posição das importações nacionais nos últimos anos, voltou a registar uma queda significativa. Foram desembarcadas 39.895 toneladas. No ano passado foram 161.380, uma queda de 75,28%.

O Porto de Luanda voltou a ser o mais movimentado desse trimestre, apesar de registar uma queda. Foram desembarcadas 958.566 toneladas contra os 1.179.339, uma redução de 18,72%, em relação ao trimestre homólogo. A China, Portugal e Brasil foram dos países que mais venderam a Angola. A importação destes três países representa mais de 40% de toda a mercadoria, o que totalizou 503.153 toneladas. Os maiores importadores foram o Entreposto Aduaneiro de Angola, com 6,21% de toda a mercadoria, Grandes Moagens de Angola, com 5,45%, e a Angolissar com 4,57%.

COMPRAS DE VEÍCULOS AUMENTAM

55,36% As compras de veículos no primeiro trimestre deste ano tiveram um aumento de 55,36% comparando ao mesmo período do ano passado. Foram compradas 2.523 viaturas mais 899 do que em 2017. O mercado, que tem registado baixas recorrentes desde a crise, teve como maiores importadores a Clinicar, a Sogepower e o Ministério dos Transportes, que respondem por 26% do total de automóveis importados.

 

Comentários

A Informação mais vista

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao