wrapper

logo min

pten

PRODUÇÃO NACIONAL. Sector avícola produz apenas 30% da sua capacidade, enquanto o país gasta cerca de 200 milhões de dólares/ano para a importação de ovos.

Avicultores

Pelo menos, quatro mil funcionários do sector avícola correm o risco de perde os postos de trabalho, segundo cálculos da vice-presidente da Associação Nacional dos Avicultores de Angola (ANAVI), Maria José.

A responsável fez essas declarações, na semana passada, durante um encontro, realizado em Luanda, entre empresários e membros do Governo, nomeadamente os ministros da Agricultura e Florestas, Pescas e do Mar, da Indústria, e da Economia e Planeamento.

Maria José defendeu que a crise do desemprego no sector avícola está a ser motivada pelas dificuldades que as empresas têm em importar matérias-primas inerentes à criação de galinhas e pintos, bem como para a produção de ovos. Apesar da capacidade instalada, continuou a responsável da ANAVI, vários aviários encontram-se paralisados. Aliás, o sector encontra-se a produzir apenas 30% da sua capacidade.

Os impasses na importação das matérias-primas estão relacionados com a escassez de divisas que devasta, desde 2014, a economia nacional. O Banco Nacional de Angola tem estado a fazer gestão apertadas das moedas estrangeiras (dólares e euros), no entanto, a vice-presidente da ANAVI lamenta que, nos poucos casos que conseguem divisas, recebem orientação para o cancelamento da operação de importação.

“O melhor método para nós seriam as alocações de divisas para vendas directas. Mas, muitas vezes, a operação está em curso e o banco manda o comunicado a dizer que retirou e temos de parar a operação”, lamenta, acrescentando que, por conta desses impasses, em Dezembro, o país se arrisca a enfrentar a escassez de ovos por da baixa de produção.

“A maior parte de produtores não repovoou os aviários por falta de matérias-primas. Se não tivemos matéria-prima para fazer ração, não podemos ter pintos. Já no ano passado, houve um problema semelhante”, alertou a empresária. “Naquela altura, o Ministério da Agricultura deu prioridade a alguns produtores para importar alguns ovos para a quadra festiva, mas tivemos um grande problema, porque não sabemos como, mas entram ovos em quantidades que não estavam programadas pelo Ministério da Agricultura”, criticou.

Maria José afirmou que o Estado gasta anualmente mais de 180 milhões de dólares com importação de ovos, valor que, entende, deveria ser aplicado em matérias-primas. Em Maio, foi realizado o censo que ilustra o ponto de situação do sector. O documento, segundo Maria José, está na posse do Ministério da Agricultura e Florestas.

 

Comentários

A Informação mais vista

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao