wrapper

logo min

Portuguese English

COMÉRCIO. Indicadores dos negócios entre Angola e SADC ainda estão longe de equilibrar balança comercial entre países membros. Barreiras aduaneiras impostas por Angola e falta de diversificação das exportações na base dos baixos níveis dos fluxos de capital.

As trocas comerciais entre Angola e a Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SACD) cifraram-se, em 2015, nos 6.885 milhões de kwanzas, recuando cerca de 24%, face aos 9.065 milhões de kwanzas registados em 2014, segundo dados da Administração Geral Tributária (AGT) a que o VALOR teve acesso.

Desdobrados os números, o país exportou, em petróleo, diamantes e madeira, 4.139 milhões de kwanzas, no ano passado, contra os 5.951 milhões de kwanzas registados no anterior, uma quebra superior a 30%.

No mesmo sentido, as importações derraparam 11,8% dos 2.765 milhões de kwanzas em 2015, face aos 3.114 nos 12 meses de 2014.

O saldo comercial, apesar de se manter favorável a Angola, seguiu o curso de queda das trocas comerciais, fixando-se em 1.374 milhões de kwanzas em 2015 e 2.837, no ano anterior.

O comportamento das trocas comerciais, segundo observadores, deve-se também à conjuntura económica do país, caracterizada pelo corte no preço do petróleo, com a consequente pressão sobre os recursos cambiais que se revelam insuficientes para as necessidades da economia.

Nos negócios fronteiriços, a tributação indica que a Namíbia, no ano passado, importou, dentro da comunidade, produtos avaliados em 11.064 milhões de kwanzas, liderando, desta forma, o ranking dos quatro países que partilham a mesma fronteira com o território nacional e vendeu bens diversos avaliados em 98 mil milhões de kwanzas.

O Congo comprou, dentro da SADC, 1.368 milhões de kwanzas em bens diverso e exportou mercadorias no valor de 136.906 mil milhões de kwanzas. A RD Congo vem na terceira posição com uma quota de 919 milhões de kwanzas em importaçoes. Em última posição ficou a Zâmbia que vendeu para a regiao bens e serviços avaliados em 67, tendo importado 219 milhões de kwanzas.

As importaçoes, dos quatro paísses na SADC, em 2015, cifraram-se em mais de 13 mil milhões de kwanzas, enquanto as exportaçoes para a região fixaram-se nos 266 mil milhões de kwanzas.

No entanto, a África do Sul lidera o mercado regional. No ano passado, importou, dos países membros, 120 mil milhões de kwanzas em bens diversos e, no sentido inverso, vendeu mais de 100 mil milhões de kwanzas.

A Namíbia vem em segundo lugar com exportações avaliadas em mais de 98 mil milhões de kwanzas e comprou bens e serviços avaliados em 11.064 milhões de kwanzas.

O total das importações dos países da SADC fixaram-se em 135 mil milhões de kwanzas e a venda global atingiu os 231 mil milhões de kwanzas.

Em termos de receitas aduaneiras, no ano passado, caíram para os 324 mil milhões de kwanzas, contra os 447 mil milhões de kwanzas registados no ano anterior.

 

Comentários

A Informação mais vista

+ Opiniões

O Valor Económico

É o órgão de eleição para a divulgação da sua marca entre os públicos mais exigentes, designadamente decisores políticos e empresários, profissionais médios e estudantes universitários. Pauta-se pelo rigor da informação e da análise dos temas relevantes que afectam directa ou indirectamente a economia angolana e internacional e afirma-se como espaço de promoção de ideias, através da opinião e do debate.

NewsLetter

Contactos

Para anunciar no Valor Económico, entre em contacto connosco.

Rua Fernão Mendes Pinto, Nº 35, Bairro Alvalade,
Distrito da Maianga – Luanda.

Comercial Telemóveis:

(Geovana Fernandes):

+244 941 784 792

(Arieth Lopes)

+244 941 784 791

Telefones:
+244 222 320510 / 222 320514

comercial@gem.co.ao